segunda-feira, 25 de junho de 2012

Grita - Pablo Neruda


 Grita
Pablo Neruda
In Crepusculário


Amor, quando chegares à minha fonte distante,
cuida para que não me morda tua voz de ilusão:
que minha dor obscura não morra nas tuas asas,
nem se me afogue a voz em tua garganta de ouro.

Quando chegares, Amor
à minha fonte distante,
sê chuva que estiola,
sê baixio que rompe.

Desfaz, Amor, o ritmo
destas águas tranquilas:
sabe ser a dor que estremece e que sofre,
sabe ser a angústia que se grita e retorce.

Não me dês o olvido.
Não me dês a ilusão.
Porque todas as folhas que na terra caíram
me deixaram de ouro aceso o coração.

Quando chegares, Amor
à minha fonte distante,
desvia-me as vertentes,
aperta-me as entranhas.

E uma destas tardes - Amor de mãos cruéis -,
ajoelhado, eu te darei graças.


0 comentários:

Yoga Namaskar - Aprenda sobre Yoga!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Meus Blogs Amigos - Vale visitar...

Selinhos

Selinhos
Blog Brindes do Rei

Blog Amigo do Paixão Por Livros

Blog da Ana

Ganhei este selinho da Jacke do Blog Atitudes Positivas

Esse "Yoga Cat" eu ganhei da minha amiga Márcia

Esse selinho eu ganhei da Ana do "Pelos Caminhos da Vida"

Recebi da Jakeline do blog Jakeline Magna... Tudo às Claras!!

On-Line

De onde vem as visitas

Live Traffic Feed

Quem passou por aqui...

 

Blog da Vick Copyright © 2008 Green Scrapbook Diary Designed by SimplyWP | Made free by Scrapbooking Software | Bloggerized by Ipiet Notez